A magia do Grande Espírito


Ó Grande Espírito! Que as pulsações do meu coração estejam em ressonância com as pulsações da vida infinita. Que a canção das estrelas arrebate o meu espírito! Que a vastidão dos oceanos me inspire à vastidão dos pensamentos criativos.

Ó Grande Ser que está em Tudo! Minha criança interior saúda a Tua criança interior, que é a mesma. Junto com ela celebrarei a Magia da Vida. Dançarei em volta das fogueiras da alegria, e suas chamas aquecerão os corações esquecidos de viver na ressonância de Tua pulsação universal.

Ó Manitu*, Senhor de todas as canções, vem aqui dentro do meu peito e faz a Magia da Canção acontecer. O Povo Alado, que conhece bem o azul do Teu céu e que vê o Invisível que os homens não vêem, veio me falar de Tua Magia. O espírito da águia me ensinou que a Tua Magia está no ar e nos vastos horizontes. O espírito da coruja me ensinou com o olhar silencioso que a Tua Magia flutua no centro da noite. O espírito do beija-flor me disse que as flores lhe ensinaram que é a Tua Magia que faz com que elas desabrochem na época certa. E o espírito do condor me falou que viu a Tua Magia nas alturas Andinas.

Ó Tupã**, Pai Primeiro, que eu possa voar e dançar na Tua Magia! E que junto com os meus companheiros de estudo e prática espiritual, nós possamos celebrar a Magia de nossos espíritos com a Tua Magia, pois ela é a mesma. Possamos voar espiritualmente com o povo alado pelo azul do Teu céu, para que eles nos ensinem a arte de ver o Invisível.

Ó Grande Chefe das consciências! Vem e arrebata nossos espíritos com a Tua Magia, para que a criança interior faça a Magia do sorriso florescer em nossos corações. Abençoa o nosso trabalho com a Magia do Teu Amor!

PS: O povo alado me disse que não é apenas o povo do invisível que interage interdimensionalmente com os trabalhos espirituais, mas também o povo das estrelas. Lá em cima ou aqui embaixo, nos planos invisíveis ou aqui na Terra, é a mesma Magia do Grande Espírito que está em tudo! Portanto, celebremos a Magia da Vida! E viva o Pai Primeiro e a criança interior, mestres da magia da alegria.

Mitakuye Oyasin!***

Notas:
* Manitu: Designação que os índios algonquinos, dos EUA, dão a uma força mágica não personificada, mas inerente a todas as coisas, pessoas, fenômenos naturais e atividades. O Grande Espírito. Ver o texto “Filhos de Manitu” (texto 36 - na seção de textos periódicos enviados pelo site, em 29 de julho de 1998 – www.ippb.org.br). Para os interessados em pesquisar o Xamanismo, sugiro os seguintes livros para começar: “O Caminho do Xamã” – Michael Harner – Editora Pensamento. “Os Segredos do Xamanismo” – Jose Stevens e Lena S. Stevens – Editora Objetiva. “Cartas Xamânicas” – Jamie Sams e David Carson – Editora Rocco.

** Tupã: Dentro da Cosmogonia Tupi-Guarani é o SER que a tudo criou. O Criador da Luz que gera a vida. Para maiores aprofundamentos sobre a Cosmogonia Tupi-Guarani, sugiro a leitura do ótimo livro “Tupã Tenondé” – Kaka Verá Jecupé – Editora Fundação Peirópolis.

*** Mitakuye Oyasin: Expressão de saudação dos índios Sioux, dos EUA.

Wagner Borges Extraído do site: www.ippb.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário